Não fique doente na Nova Zelândia – Como funciona o sistema de saude publica

Ficar doente numa país onde a cultura é diferente não é fácil, e dessa vez aprendemos na marra como funciona o sistema público de saúde da Nova Zelândia.

Mas vamos aos fatos, porque eu e o Léo chegamos estrupiados na Nova Zelândia. Primeiro vou contar o que aconteceu comigo (Fernanda), e depois veja o vídeo para ver a outra história que aconteceu com o Léo e entenda do porque desse titulo para esse post/video.

Toda essa historia de ficar doente começou ainda quando estavamos no Brasil… Umas 3 semanas antes de vir embora, pelo menos 1 x por semana sentia a garganta incomodar, mas nem liguei muito, afinal de contas é só a garganta raspando. Comprei própolis com mel e gengibre, gargarejo de água morna com sal, e de vez em quando umas pastilhas. Tudo isso fazia melhorar por uns 5 dias e depois voltava um pouquinho mais forte.

Enfim, chegamos na Nova Zelândia e aquele incomodozinho estava começando a se tornar um incomodozão! Logo, partir para os remédios. Tomei minesulida, spray anti-inflamatório, milhares de balas de mentol, paracetamol, e chá e mais chá e mais chá (limão. gengibre e mel) e infelizmente o negocio só estava piorando a cada dia mais.

Até que 3 dias depois que chegamos, percebi que nada tava fazendo efeito, saímos numa manha beeem gelada de domingo  e fomos no hospital. Chegando lá primeiro eu passei com uma enfermeira e expliquei tudo que eu estava sentindo, depois fomos na recepção (ela consultou o nosso visto e cadastro – para quem tem seguro viagem é nessa hora que ela faz a consulta), e depois outra enfermeira me chamou lá pra dentro e fez o primeiro atendimento. Ela me examinou e me medicou com 2 remedios e também me encaminhou para que a medica pudesse dar continuidade no atendimento.

Nessa altura do campeonato eu tava crente que depois daqueles 2 remedinhos sabor tutti-fruit eu já ia sair de la dançando bunda-le-le. Ledo engano. A medica me chamou, examinou, fez 38940905893930 perguntas e por fim pediu pra mim continuar tomando paracetamol, espirrando o spray anti-inflamatório e prescreveu um antibiotico (amoxicillin com clavulanic), muito repouso e me proibiu de por a cara na rua pelos próximos dias. Pensei na hora, ótimo! Vou me entupir de remédio mas dessa vez vai sarar. E adivinha só o que aconteceu!?

Mais tarde, por volta as 16h naquele mesmo domingo, acordei 5mil vez pior do meu cochilinho da tarde. Minha voz começou a ficar rouca, a garganta começou a doer como se nunca tivesse visto remédio na vida e ate pra engolir uma salivinha a toa era uma tortura.

Pesquisei na internet e vi que o antibiótico pode demorar de 24h a 48h pra começar a fazer efeito, então respirei fundo e tentei manter minha cabeça confiante de que ia melhorar já.

Pois é! Dessa vez a força do pensamento positivo nao funcionou como eu gostaria… Alem de não ter melhorado nada, a situação estava cada vez pior. A garganta começou a doer sem eu nem encostar nela. Tosse e mais tosse invadiram a madrugada e passei a noite inteirinha sem conseguir dormir mais que meia hora.

Na segundinha acordamos como? Pior ever do ever do never! Passei o dia morrendo de sono, e o maximo que consegui dormir foi 30min por 2x apenas. Porque eu não sabia, mas a gente engole saliva enquanto dorme, ou seja, cada vez que engolia sem eu perceber, vinha aquela senhora dor e me acordava na hora.

Sendo assim, tive a brilhante ideia de me abrir com meus leitores lindos pelo insta-stories (se você ainda não me segue, siga agora amor @blogtoindoviajar) e percebi que não tava conseguindo falar direito! Aaaaaaaah! Alem da dor, agora não falo, to com um sono miseré, e a garganta esta cada vez pior, sem falar que acho que tive uma febre lascada também.

Foi ai então que recebi mais de 50 mensagens em pouco mais de 6h, de vocês preocupados e me receitando milhares de receitinhas pra mim melhorar. E desse mundarel de gente, acho que uns 90% me questionou porque eu não tomei a nossa famosa bezetacil. O problema é que aqui não tem. Se tivesse eu mesma teria pedido pra tomar logo de cara.

 

No outro dia acordei 637783984938 vezes pior e tive que ir no medico novamente. Esperei o Leo chegar, e fomos mais uma vez na emergência do hospital. (Não fomos no GP, porque já era por volta das 20h).

A história lá no hospital se repetiu conforme o dia anterior, com excessão que quando fui tomar os remedios gostosinhos saber tutti-fruit, eles passaram pela minha garganta como se fosse uma faca. Era exatamente essa a sensação! Cara! Foi terrível.

E advinha só o que a medica disse pra mim?! Sorry, mas não tem mais nada que o hospital possa fazer por você. Você já esta tomando antibióticos e precisa esperar o remedio fazer efeito.

Ou seja, me lasquei de todas as cores. Não teve conversa! Fiquei quase 3 dias sem conseguir comer ou tomar agua direito e a única coisa que ela me deu naquele dia foi xelocaine para fazer gargarejo e aliviar um pouco a dor.

No 4º dia tomando remedio, a dor começou a melhorar, eu voltei a falar e voltei a viver hahah. Mas gente, nunca imaginei que uma dor de garganta iria causar tanto transtorno e principalmente que isso ia demorar tantos dias pra começar a ter uma melhora…

Mas tudo bem! Não vamos mais reclamar… O importante foi que em 7 dias eu me curei… Aleeeeluia! RS

 

E ai, vamos ao vídeo?!

Nele contamos a história do Léo, os nossos perrengues e também explicamos melhor como funciona o sistema publico da saúde da Nova Zelândia.

 

Sistema  de Saúde Nova Zelândia

 

História final do Léo

No dia que gravamos o vídeo, o Léo ia pingar o remédio na orelha dele por 2 dias. Pois assim fizemos e advinha?! Nada de cera e muito menos dele voltar a ouvir normalmente.

Tivemos que marcar o especialista. O moço (Léo) teve que sair mais cedo do trabalho, e fomos no otorrino.

Pagamos NZD 35,00 pela consulta para ouvir que a orelha do bonitinho estava perfeita. Sem cera e nem nada. E que possivelmente poderia ser sinusite (coisa que o Léo nunca teve) e que ele deveria ir aonde?

 

Valendoooo o troféu joinha pra quem acertar!? Hahah

 

Na farmácia, off course! Mais uma vez ele deveria conversar com um farmacêutico.

Aaaaaaaaarrhg! Really?!

 

Pois é! Mais uma vez fomos parar na farmácia, e gastamos mais NZD 27,00 com remédios e depois de uns 5 dias o Leaozinho voltou a ouvir!

 

Ufa hahah! Finalmente voltamos a vida sem dores e desconfortos e também sem querer usar tão cedo o sistema publico de saúde da Nova Zelândia.

Curtiu, tem dúvidas ou sugestões? Ficaremos felizes com o seu comentário: