Sob a ameaça de um novo terremoto na Nova Zelândia

E já que vocês pedem que a gente fale sobre terremoto na Nova Zelândia, então vamos falar 🙂 E mais precisamente vamos contar a nossa experiência vivendo em Christchurch onde os earthquakes (terremotos) são frequentes e talvez mais conhecidos, pelos brasileiros, por causa dos tremores que abalaram a cidade em 2010 e 2011 causando a morte de 185 pessoas e a destruição de uma boa parte da city.

Desde quando planejavamos a nossa ida pra cá, a gente já sabia da probabilidade alta de ter terremoto na Nova Zelândia e até mesmo tsunami por aqui. (Nós perguntamos isso no primeiro dia em que chegamos aqui – Assista aqui).

Afinal de contas a Nova Zelândia está sob a junção de duas placas tectônicas e por conta disso e segundo informações que já ouvi, aqui se concentra até 90% dos terremotos do planeta e tem mais de 14.000 terremotos por ano. Esse número pode ser assustador (obvioooo) mas é claro que a maioria desses tremores são totalmente imperceptíveis e a gente consegue levar uma vida super bacana sem ficar muito encanado com isso. (Mãe e Sogra: não se preocupem tá) rs

E realmente essa informação de não sentir os terremotos super procede, pois viemos a sentir o nosso primeiro terremoto quase 6 meses depois que pisamos em terras Neozelandesas. E isso acontece pois depende da localização, profundidade e a intensidade do tremor na Escala Richter.terremoto nova zelandia christchurch

Logo após o primeiro terremoto que sentimos, nós baixamos um aplicativo chamado Canterbury Quakes que mostra todos os tremores que estão ocorrendo na região. E tem também um site e outro aplicativo que chama GeoNet Quakes. Ambos os apps é possível acompanhar os tremores que teve e também ver a intensidade, profundidade e a localização, conforme a foto ao lado.

E agora mesmo (14/04/16) que tirei o print para colocar essa foto aqui, me assustei pois só hoje já foram registrados 10 abalos sísmicos na região de Christchurch, sendo que 2 deles foram acima de 3.0, mas como bem profundo, nós não sentimos e se não fosse pelo app eu nem saberia que hoje tinha acontecido esses tremores.

Diferente desses últimos 2 terremotos do dia 09/04/16 que apesar da intensidade ter sido baixa, a profundidade foi de apenas 5km e isso foi o suficiente para me acordar antes das 7h da manha em pleno sabadão (pensa se eu não xinguei — anyway — coloquei as imagens no video abaixo na parte 2). Já esse terceiro, das 12:23h, foi longe da gente logo não sentimos.

A gente acompanha uma página no facebook de um repórter da região e as vezes ficamos sabendo ou confirmamos a nossa suspeita de terremoto na Nova Zelândia com os posts dele.
terremoto nova zelandia christchurch 6

 

Anyway — Vamos para os videos! Assista agora os videos divididos em Parte 1 e 2 onde contamos nossa experiência e como lidamos com isso com terremoto na Nova Zelândia

 

 

 

 

Clique aqui e assista pelo youtube e deixe o seu CURTIR pra gente ficar feliz :)

 

 

Informações adicionais

Depois dos tremores de 2010 e 2011 a cidade de Christchurch está sendo reconstruída com padrões de engenharia para aguentar novos tremores de maiores intensidades, caso ocorram. Um exemplo: no meu trabalho (ajudante de azulejista) quando vamos fazer o rejunte dos pisos em uma área grande, a cada 3 metros temos que colocar silicone no lugar do rejunte.

Outra informação bacana que não falamos nos videos é que toda a população sabe exatamente o que fazer caso aconteça um terremoto forte na Nova Zelândia. Inclusive, as crianças já aprendem isso na escola.

terremoto nova zelandia christchurch 2Foto da internet

Bom, é isso!  Se você gostou desse post e achou que foi útil para você… Curta, comente e compartilhe e assim ajude a gente a divulgar essa informação e ajudar outras pessoas 🙂

 

 

 

to indo viajar veja tambem
Passagem aérea Nova Zelândia :: Comprar ida e volta? Reembolso?

Custo de Vida na Nova Zelândia

6 dicas de como juntar dinheiro para fazer intercambio ou imigrar

 

 

 

Saiba mais: Acompanhe a gente em todas as nossas redes sociais!

redes sociais to indo viajar

Snapchat – Instagram  –  Facebook  – Youtube

Curtiu, tem dúvidas ou sugestões? Ficaremos felizes com o seu comentário: